Duarte Lima quer ser julgado no Brasil mas sem sair de Portugal

O ex-dirigente do PSD pediu ao juiz de instrução brasileiro para ser julgado por um tribunal de júri. Mas não quer estar presente.

No Brasil, o juiz de instrução do processo do homicídio de Rosalina Ribeiro ainda não decidiu se as provas são ou não suficientes para levar Duarte Lima a julgamento. Mas Duarte Lima, o arguido, antecipou-se à decisão do juiz e encarregou o seu advogado brasileiro, Ribeiro Filho, de enviar uma petição ao juiz da comarca de Saquarema (Rio de Janeiro) a requerer que o processo seja levado a julgamento por um tribunal de júri. Mas Duarte Lima quer ser julgado no Brasil sem sair de Portugal, soube o DN por fonte da defesa.

Claro que o juiz de instrução é que decide se um caso vai a julgamento ou é arquivado e não toma essa decisão em função do pedido de uma das partes (seja arguido ou acusação). A defesa de Duarte Lima argumentou, num comunicado, que quis, com esta petição, antecipar-se a uma "vitória de secretaria", que é a forma como poderia ser vista uma eventual decisão de arquivamento por parte do juiz.

A defesa de Duarte Lima argumentou, num comunicado, que quis, com esta petição, antecipar-se a uma "vitória de secretaria", que é a forma como poderia ser vista uma eventual decisão de arquivamento por parte do juiz.

Leia mais no e-paper ou na edição impressa do DN

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG