Dois portugueses mortos a tiro no espaço de uma semana

Dois cidadãos portugueses foram assassinados com armas de fogo na África do Sul no espaço de uma semana, ambos na zona metropolitana de Joanesburgo.

Um deles, de 50 anos, natural da Cova da Piedade, faleceu esta terça-feira depois de estar uma semana em coma profundo no hospital Chris Hani Baragwannath, adiantou o Fórum Português, instituição sediada em Joanesburgo e com representantes em todas vilas e cidades sul-africanas onde há comunidades portuguesas.

A vítima tinha sido alvejada com dois tiros na passada terça-feira quando procedia à cobrança de rendas em residências na área de Rosettenville, um bairro no sul de Joanesburgo, tudo indicando que os desconhecidos se apoderaram de dinheiro e bens que transportava na altura.

Sexta-feira, no Soweto, também a sul de Joanesburgo, um outro português, de 47 anos, natural São Jorge, ilha da Madeira, foi baleado mortalmente no talho que explorava há vários anos.

"São perdas muito grandes para a comunidade portuguesa, mas infelizmente não só os portugueses são afetados pela criminalidade que neste momento parece estar a aumentar, apesar das estatísticas oficiais dizerem o contrário", disse à Lusa o presidente do Fórum Português, Manny Ferreirinha.

O Fórum Português tem dado assistência às vítimas, familiares e sobreviventes do crime violento, tendo deslocado o seu presidente para os hospitais e locais dos crimes cometidos contra portugueses e lusodescendentes em anos recentes.

"É nossa tarefa apoiar os nossos, bem como promover o sentido de união na comunidade. Estamos mesmo a manter encontros com comandantes de polícia e investigadores nas áreas onde portugueses são vítimas de ataques, pressionando-os a seguir pistas, a avançar com investigações, a não deixar os processos esquecidos nas gavetas", disse Ferreirinha, para quem a captura e a condenação dos responsáveis é essencial para que a justiça tenha sentido.

Com estas duas mortes aumenta para quatro o número de portugueses assassinados na África do Sul este ano.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG