Doentes reduzem no oxigénio por falta de dinheiro

Há doentes respiratórios que estão a reduzir as doses de oxigénio e medicação por falta dinheiro, alerta a associação de doentes Respira. Diretora do Programa Nacional das Doenças Respiratórias espera que concurso nacional para a compra de oxigénio garanta mais igualdade no acesso aos tratamentos.

Portugal tem cerca de de 800 mil doentes com Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica (DPOC), um problema pulmonar que resulta de uma obstrução das vias aéreas. "Com a crise temos muitos doentes que nos dizem que não estão a fazer o tratamento prescrito, nem a tomar a medicação como o receitado para a fazer render", afirma ao DN Luísa Branco, presidente da associação Respira.

Cristina Barbara, diretora do Programa Nacional de Doenças Respiratórias, espera que o acesso aos oxigénio fique resolvido em breve. "Está a decorrer um concurso nacional que irá inverter completamente a situação, aumentando os equipamentos e a acessibilidade. Com a prescrição eletrónica conseguiremos monitorizar as assimetrias regionais e conseguir melhorar os critérios para indicação de tratamento", explicou a médica.

Leia mais na edição e-paper do DN.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG