DGS prevê que não se registem novos casos de legionela a partir de 20 de novembro

Francisco George, diretor-geral da Saúde, afirmou que se pode retomar "as atividades e hábitos" e que mais de 50 doentes já receberam alta. Não foi revelada a origem do surto.

A DGS apresentou os dados correspondentes ao surto de legionela, revelando todos os passos das autoridades desde o dia 7, quando às 9.00 foi dado o alerta. Francisco George salientou que "verificou-se uma conjugação rara de factores ambientais que explicam a dimensão do surto".

O diretor-geral da Saúde realçou que há um "risco mínimo" de se ser infetado pela batéria desde 10 de novembro. Acrescentou, que tendo em conta o período de incubação de dez dias, a expectativa é que a partir do dia 20 de novembro, não sejam verificados mais novos casos de legionela.

Fernando Almeida, do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, referiu na mesma conferência de imprensa, que 12 amostras (de 12 doentes) revelaram o mesmo perfil. Em termos ambientais, nas amostras analisadas foi identificada em algumas uma estirpe idêntica à encontrada nos doentes.

Porém, não foi revelada a origem do surto que matou sete pessoas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG