Dezenas marcham pelo fim da violência contra as mulheres

Algumas dezenas de pessoas marcharam hoje em Lisboa pelo fim da violência contra as mulheres, uma luta "tão ampla" quanto a transformação do mundo assim o exige, lembrou a organização do protesto.

"Lutaremos contra todas as formas de violência: a do assédio sexual, discriminação, preconceito, mas também da austeridade. Esta luta é tão ampla quanto a transformação do mundo que queremos fazer. É uma luta de todos os dias", declarou à agência Lusa Sofia Roque, da rede 8 de Março, responsável pela marcha, que arrancou cerca das 15:30 no Largo Camões, no Chiado, e estendeu-se até ao Martim Moniz.

A rede 8 de Março agrega associações de defesa da igualdade de género e tem trabalhado sobretudo sobre os direitos das mulheres.

A deputada do Bloco de Esquerda (BE) Cecília Honório, presente na marcha de hoje na capital portuguesa, lembrou que esta é uma luta que o partido assume "desde sempre" e "fora e dentro do Parlamento", advertindo que é necessário "máximo alerta" face aos números de mulheres vítimas de violência doméstica.

A denúncia de "algumas organizações", diz, aponta para que a continuada "crise, quebra de apoios sociais e debilitação do Estado social" gera "condições" para o agravar da violência doméstica.

Catarina Martins, que divide a coordenação do BE com João Semedo, marcou também presença na marcha desta tarde.

Cânticos contra a violência e a favor da igualdade de direitos foram uma constante trajeto das dezenas de participantes, predominantemente mulheres.

De acordo com o Observatório de Mulheres Assassinadas, 36 mulheres foram assassinadas entre janeiro e 21 de novembro deste ano, tendo-se registado outras 49 tentativas de homicídio, números superiores aos registados durante todo o ano de 2011.

O Governo lançou recentemente uma nova campanha contra a violência doméstica: "Chegou a hora de dar um murro na mesa" é o mote da campanha, desta vez com foco nas crianças, já que 42% dos casos em 2011 foram presenciados por menores.

Dados do relatório de 2011 da Direção Geral da Administração Interna (DGAI) sobre violência doméstica mostram uma quebra de 10,9% no total de ocorrências de violência doméstica entre os meses de janeiro a setembro de 2012, comparativamente com os mesmos meses do ano passado, havendo registo de 20.125 ocorrências, divididas entre 8.282 na GNR e 11.843 na PSP.

O Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra as Mulheres assinala-se hoje.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG