Dezenas de pessoas no funeral de um dos agentes colhidos mortalmente por comboio

Funeral de Ricardo Santos, 23 anos, realizou-se esta manhã em Elvas. Durante a tarde, realizar-se-á o funeral de João Rainho.

Dezenas de pessoas marcaram hoje presença em Elvas (Portalegre) no funeral do agente Ricardo Santos, um dos dois polícias colhido mortalmente por um comboio durante uma perseguição policial a suspeitos de assalto a uma residência em Loures.

No meio de grande consternação, familiares, colegas da PSP, amigos e vizinhos acompanharam o cortejo fúnebre até ao cemitério daquela cidade alentejana, mantendo-se ao longo de toda a cerimónia um profundo silêncio.

Nas cerimónias fúnebres do agente, de 23 anos, marcaram presença em nome do governo, pelo menos, a ministra da Administração Interna, Anabela Rodrigues, e o secretário de Estado da Administração Interna, João Almeida.

O funeral do outro agente envolvido neste acidente, João Rainho, de 26 anos, vai decorrer durante a tarde de hoje, a partir das 15:30, na igreja do Forte da Casa, seguindo depois para o cemitério da Póvoa de Santa Iria, no distrito de Lisboa.

Na quarta-feira, os dois agentes da PSP foram colhidos mortalmente por um comboio entre a Bobadela e Sacavém, enquanto perseguiam três homens suspeitos de um assalto a uma residência no concelho de Loures.

Dois dos suspeitos foram intercetados momentos depois, num canavial perto da linha ferroviária.

Os dois detidos, de 17 e 20 anos, começaram a ser julgados em processo sumário na quinta-feira, no Tribunal de Loures, tendo saído ambos em liberdade e sido notificados para comparecerem no tribunal na segunda-feira, às 14:30, para continuação do julgamento.

Em comunicado, o Comando Metropolitano de Lisboa da PSP informou que os detidos estavam já referenciados por roubo e furto e que já tinham fugido anteriormente às autoridades.

O terceiro suspeito continua em fuga.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG