Dezassete militares desistiram do curso de Comandos

Primeiro dia do reinício do curso de comandos com 63 instruendos levou à saída de um oficial, quatro sargentos e 12 praças.

Dezassete militares do Exército desistiram esta quinta-feira do 127º curso de Comandos, marcado pela morte de dois instruendos e que esteve suspenso durante uma semana, informou fonte oficial.

Os militares em causa foram um oficial, quatro sargentos e 12 praças, que desistiram "a pedido dos próprios" no recomeço do curso daquelas forças especiais do Exército, precisou a fonte.

O curso começou no início de setembro com 67 instruendos, todos militares já ao serviço do Exército. Mas logo no primeiro dia de exercícios no Campo de Tiro de Alcochete, sob temperaturas na casa dos 40 graus, morreu um furriel e foi internado o soldado que viria a falecer dias depois devido a falência hepática.

O internamento subsequente de mais nove militares levou o Chefe do Estado-Maior do Exército a suspender temporariamente o curso para serem realizados testes clínicos adicionais aos instruendos.

Um dos dois militares que estavam internados já teve alta. O outro continua internado no Hospital das Forças Armadas mantendo "um quadro de melhoria analítica", informou ao DN fonte do Exército.

Os cursos seguintes foram anulados até à conclusão dos inquéritos em curso para se perceber o que aconteceu, alterar o que for necessário e serem apuradas responsabilidades, conforme afirmaram o Presidente da República, o ministro da Defesa e o Exército.

A par do inquérito do Exército, também o Ministério Público e a Polícia Judiciária Militar iniciaram averiguações próprias.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG