Desassoreamento da Ria Aveiro avança este ano

Concurso público para a empreitada, no valor 17,65 milhões de euros, é lançado este sábado pelo ministério do Ambiente. Trabalhos arrancam em outubro, ou novembro

Foram quase 20 anos à espera, mas o desassoreamento da Ria de Aveiro vai finalmente arrancar. O concurso público internacional para a empreitada, no valor de 17,65 milhões de euros, é lançado este sábado pelo ministério do Ambiente, que prevê que os trabalhos se iniciem no terreno "no último trimestre deste ano", como adiantou ao DN o ministro do Ambiente João Pedro Matos Fernandes.

"Este é um projeto do qual se fala há 20 anos", sublinha o governante, explicando que se trata "de uma obra de grande dimensão", que implica "quase 18 milhões de euros de investimento, para dragar um milhão de metros cúbicos de sedimentos de todos os canais da ria".

O prazo previsto para a conclusão dos trabalhos, depois do seu início, "em outubro, ou novembro" próximos, é de 15 meses, pelo que "estarão concluídos até à primavera de 2020", adianta Matos Fernandes.

As areias que vão ser dragadas dos canais da ria serão reaproveitados para fazer reforço das praias locais, do cordão dunar, a norte e a sul de São Jacinto, e ainda para altear as margens da ria, a fim de proteger os terrenos que são ali usados pela agricultura tradicional, no que "é uma das zonas mais férteis do país", como diz João Pedro Matos Fernandes.

"Serão vários benefícios", explica o governante, a começar pela "reposição das condições naturais da ria". Atualmente, muitos dos seus canais já não são navegáveis por terem o fundo muito baixo, e com o desassoreamento, isso vai voltar a ser possível. Por isso mesmo, os trabalhos preveem também o balizamento e a sinalização dos canais para a sua navegação.

A utilização das areias no reforço dunar é um benefício importante para aquela zona costeira do país, já que é nela que "a regressão das areias é mais evidente, com uma taxa de recuo [da linha de costa] de cerca de sete metros ao ano, em média".

O desassoreamento da Ria de Aveiro é uma das ações inscritas até 2020 no Plano de Ação Litoral XXI, no valor de 68 milhões de euros, para 65 quilómetros de costa. Até 2030, o plano prevê cerca de mil intervenções em todo o litoral, num valor global de cerca de 900 milhões de euros.

O desassoreamento da Ria de Aveiro será financiando em 75% pelo POSEUR (Programa Operacional da Sustentabilidade e Eficiência no Uso dos Recursos,) e o restante provém do Orçamento de Estado.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG