Deputado do PS acusa Marcelo de usar "tragédias humanas para passar rasteiras" ao Governo

O deputado socialista acusou ainda alguns meios de comunicação social de ocultar informação

O deputado socialista e membro do secretariado nacional do PS Porfírio Silva acusa o Presidente da República de utilizar "tragédias humanas para passar rasteiras" ao Governo, referindo-se ao discurso de Marcelo Rebelo de Sousa após as mortes nos incêndios de outubro.

O dirigente socialista partilhou na rede social Facebook a capa da edição de hoje do jornal Público, que faz manchete com a notícia de que o Governo ficou chocado quando ouviu o discurso de Marcelo. Porfírio Silva criticou o Presidente por aparecer "a exigir com voz grossa aquilo que já lhe tinha sido comunicado que estava preparado".

"Isto configura um inaceitável aproveitamento politiqueiro de uma enorme tragédia que o país viveu e vive. Não pode um órgão de soberania usar as tragédias humanas para passar rasteiras a outro órgão de soberania", defendeu o deputado do PS na sua página de Facebook.

Porfírio Silva acusou ainda alguns meios de comunicação social de ocultar a informação da demissão da ministra Constança Urbano de Sousa, antes de esta ocorrer, argumentando que isto "estragava a sua narrativa e estragava a sua guerra contra o governo".

Em resposta ao choque que vários membros do Governo terão sentido, segundo fonte citada pelo jornal Público, Marcelo Rebelo de Sousa afirmou esta quinta-feira que pouco importa o nível do choque dos diversos protagonistas desta história e que quem não compreender isso não entende o que se passou no país. "Chocado ficou o país com a tragédia vivida", acrescentou o Presidente da República.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG