Dentista julgado por causar 1328 dias de doença a cliente

O Ministério Público (MP) vai levar a julgamento, em tribunal singular, um dentista que provocou lesões a uma paciente, que esteve 1.328 dias de doença em consequência de implantes dentários mal aplicados.

Segundo a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa, o médico "ignorou as boas práticas médicas" nas "intervenções cirúrgicas de colocação de implantes dentários" na paciente, entre 01 de novembro de 2009 e 14 de dezembro do mesmo ano, "sem que tivesse conseguido ajustar as próteses dentárias, que se partiram e que provocaram várias lesões e sofrimento prolongado".

A acusação refere que o dentista, que "exerceu atividade médica ao serviço da sociedade Clínicas Dental Group", realizou os "tratamentos sem que, previamente, tivesse realizado a necessária TAC [Tomografia Axial Computorizada]" e um raio x panorâmico da boca da paciente, "a fim de efetuar correta e adequadamente os implantes dentários".

"O arguido não procedeu à planificação dos locais anatómicos para implantes dentários de acordo com o guia cirúrgico e os cuidados médicos exigíveis, tendo provocado lesões e sofrimento prolongado na paciente, cuja correção destes tratamento apenas foi possível com assistência médica em local distinto", refere o MP.

A investigação foi exclusivamente realizada na 6.ª secção do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG