Defesa poupou 100 mil euros com cédula militar digital

Medida entrou em vigor há um ano e permite aos jovens obter documento através do Portal do Balcão Único da Defesa.

A desmaterialização das cédulas militares, em vigor há um ano, permitiu poupar 100 mil euros, anunciou esta sexta-feira o Ministério da Defesa.

A informação foi dada perante as dezenas de jovens presentes no Regimento de Transportes do Exército, em Lisboa, para cumprirem o dever de militar de participar no Dia da Defesa Nacional (DDN), numa cerimónia presidida pelos secretários de Estado da Defesa, Marcos Perestrello, e da Modernização Administrativa, Graça Fonseca.

Tendo em fundo uma grande foto do grupo de jovens que a 4 de maio de 2017 inauguraram a iniciativa naquela unidade militar, os responsáveis do Ministério da Defesa lembraram a evolução e alterações ao documento feito inicialmente em cartão, depois em plástico (semelhante a um cartão multibanco) até à atual versão PDF.

A Cédula Militar Desmaterializada pode ser obtida através do Portal do Balcão Único da Defesa (bud.defesa.pt) e constituiu uma das medidas de simplificação administrativa aprovadas em 2016 no âmbito do Simplex+ para facilitar a proximidade dos jovens ao setor da Defesa e às Forças Armadas.

O DDN nasceu com o fim do serviço militar obrigatório, em 2004, e pelos seus centros de divulgação já passaram mais de um milhão dos jovens chamados a cumprir esse dever militar.

Apesar da obrigatoriedade, "78,9% dos jovens" que cumpriram o DDN em 2017 "gostaram ou gostaram muito" da iniciativa, informou o coronel Vítor Borlinhas, do Ministério da Defesa.

Segundo este oficial superior, foi possível verificar que, "em 13 anos, os jovens portugueses com o 12º ano de escolaridade passaram de 31,8% para 50,3%". No caso dos que já frequentam a universidade, cresceram dos 13,7% para os 23,8%.

Vítor Borlinhas lembrou ainda que a própria criação do Centro de Divulgação do DDN no Regimento de Transportes foi uma medida Simplex, porque simplificou a vida dos milhares de jovens dos concelhos de Lisboa, Odivelas e Loures que antes tinham de ir à base naval do Alfeite (na margem sul do rio Tejo).

Por outro lado, essa medida permitiu também "poupar dinheiro dos contribuintes" com o transporte dos cerca de seis mil jovens que, agora, cumprem o DDN no Regimento de Transportes (bairro dos Olivais, junto ao aeroporto), acrescentou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG