Ministro considera "fundamental" divulgação de relatório na íntegra

Ministério da Defesa reafirma que "todos os serviços de informações civis e militares negam a existência" de documento

Publicar o alegado relatório secreto citado sábado pelo Expresso sobre Tancos "é absolutamente fundamental" para se conhecer "de facto" a sua existência, disse esta terça-feira fonte oficial ao DN.

"É absolutamente fundamental que quem divulgou e credibilizou tal relatório o dê agora a conhecer na íntegra, de modo a todos os interessados atestarem de facto da sua existência e poderem aferir livremente do seu valor", afirmou o gabinete de Azeredo Lopes.

Esta posição surge um dia após o diretor do Expresso reafirmar na SIC a veracidade do relatório secreto alegadamente feito em julho sobre o furto registado dias antes nos paióis de Tancos, mostrando um documento em cuja capa não consta o nome do organismo que o produziu, o número de registo e grau de classificação.

"Todos os serviços de informações civis e militares negam a existência de tal relatório", sublinhou a mesma fonte.

Mas a "relevância pública" da notícia, a par "do rigor e da transparência do debate público", tornam fundamental o seu conhecimento, argumentou o Ministério.

Pedro Santos Guerreiro já disse que o jornal irá trazer novos dados sobre o relatório na sua próxima edição, a publicar sexta-feira.

O furto aos paióis de Tancos foi detetado no final de junho, tendo sido dados como desaparecidos vários lança-granadas anticarro, explosivos, munições e granadas ofensivas, entre outro material militar.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG