Defesa autoriza compra de cinco helicópteros para substituir Alouette III

Montante base das aquisições é de 20,5 milhões de euros

O Governo autorizou a compra de cinco helicópteros ligeiros para substituir a frota de Alouette III da Força Aérea Portuguesa, que opera há mais de 50 anos, no montante de 20,5 milhões de euros.

O despacho, assinado pelo ministro da Defesa, autoriza a compra de cinco helicópteros ligeiros "com opção até mais dois", incluindo treino, sobresselentes e material de apoio, com o preço base de 20,5 milhões de euros, através de verbas inscritas na Lei de Programação Militar.

Os novos helicópteros deverão estar aptos a garantir a instrução de pilotagem, as missões de busca e salvamento costeiro, o transporte geral e a evacuação sanitária militar.

Estes helicópteros deverão também estar equipados para poderem integrar o Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Florestais, no âmbito do apoio a missões de interesse público, nomeadamente à Autoridade Nacional de Proteção Civil.

De acordo com o documento, a que a Lusa teve acesso, os encargos com a compra das aeronaves serão distribuídos por três anos, 10 milhões de euros em 2018, sete milhões de euros em 2019 e 3,5 milhões de euros em 2020.

Ao serviço da Força Aérea desde a década de 60, os helicópteros Alouette III apresentam hoje "um obsoletismo tecnológico decorrente da súbita escassez de componentes no mercado", não existindo já centros autorizados para grandes inspeções ou uma entidade habilitada a reparar os motores, segundo o despacho de Azeredo Lopes.

A substituição destes helicópteros era reclamada há vários anos pela Força Aérea.

Segundo afirmou o ministro da Defesa em agosto passado, o tempo de entrega mínimo de um novo helicóptero é de 12 meses.

Exclusivos