21 março 2015 às 10h47

Crise chegou às esmolas e aos peditórios nas igrejas

Igrejas adotaram medidas de "contenção" e "redução de despesas", havendo até párocos a "congelar" os seus salários.

/img/placeholders/redacao-dn.png
Lusa
/img/placeholders/redacao-dn.png
Lusa