Criança portuguesa afogada em água a ferver

Amaro Viana tinha 12 anos quando foi afogado em água a ferver pelos homens que violaram a sua mãe e mataram os seus pais durante um assalto à sua casa em Joanesburgo. Este massacre ocorreu a 1 de outubro de 2011 e esta semana os três indivíduos admitiram a sua culpa. A sentença é conhecida a 6 de setembro.

Os três homens entraram na casa da família Viana em Wakerville, Joanesburgo, a 1 de outubro de 2001 com o objetivo de assaltarem a residência e vingarem-se da forma como a sua patroa, Geraldine Viana, 42 anos, os tratava.

O jardineiro da família, Patrick Petrus Radebe, 24 anos, o filho da sua empregada doméstica, Sipho Mbele, 21, declararam-se na terça-feira culpados de três acusações de homicídio e uma de violação cada. David Motaung, de 20 anos, declarou-se culpado da acusação de roubo.

O jornal Beeld relata os três abandonaram o tribunal sul-africano de volta às suas celas de sorriso nos lábios.

Segundo o contado pelos três acusados esta terça-feira em tribunal, Tony Viana, de 53 anos, chegou a casa, foi atacado com um taco de golfe e uma catana e ordenaram-lhe que abrisse o cofre da residência. Tony foi então amarrado e a mulher e o filho, que chegaram a casa pouco depois, foram amarrados em quartos separados.

Mbele violou então Geraldine enquanto Radebe a segurava, colocando-se em cima da sua cara. A mãe de Amaro foi depois violada por Radebe. Depois mataram-na com um tiro na cabeça com a arma do marido, que teve o mesmo destino.

Como eram conhecidos da família, os três acusados chegaram à conclusão de que iriam ser identificados por Amaro, de apenas 12 anos. "Fomos à casa de banho e abrimos a torneira. Fomos buscá-lo [ao Amaro] e pusemos-lhe uma mordaça porque ele estava a chorar. Depois metemos-lhe a cabeça dentro da banheiro, sabendo que ia afogar-se", disse o trio nos seus depoimentos.

As provas forenses indicam que Amaro foi afogado em água a ferver. Os seus pés e mãos estavam atados.

O cão da família foi esventrado porque ladrou muito durante o ataque.

A sentença será conhecida a 6 de setembro.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG