CP diz que descarrilamento de comboio provocou atrasos

O descarrilamento de uma composição regional na quinta-feira à noite, na Linha da Beira Alta, perto de Abrunhosa-a-Velha, Mangualde, provocou atrasos e a supressão de um comboio, disse hoje à agência Lusa fonte da CP.

A circulação na Linha da Beira Alta foi retomada cerca das 10:00 de hoje mas, antes disso, a interrupção daquele troço provocou alguns transtornos.

"O serviço internacional Lusitânia/Sud Expresso requereu transbordo entre Vilar Formoso e Mangualde, tendo tido um atraso à partida de Mangualde de 27 minutos", explicou Ana Rita Forjó, do gabinete de imprensa da CP.

Houve também "um Intercidades Guarda -- Santa Apolónia que requereu transbordo de passageiros e teve uma penalização de cerca de 40 minutos" e um comboio regional entre Guarda - Coimbra suprimido, acrescentou.

O comboio que descarrilou, cerca das 20:30 de quinta-feira, era um regional que viajava no sentido Coimbra -- Guarda.

Ana Rita Forjó confirmou que seguiam no comboio dez passageiros, o maquinista e o revisor.

Segundo a Refer, o descarrilamento, que provocou dois feridos ligeiros e poucos danos materiais, terá sido causado pela queda de pedras na via que provocaram a saída da linha de dois rodados de uma das composições.

O trabalho de carrilamento e limpeza da via prolongou-se durante a noite e início da manhã.

"É um trabalho complicado porque caíram na via pedras de grande porte. Aquela é uma via de sentido único e houve a necessidade de partir as pedras e proceder aos trabalhos necessários, houve um trabalho acessório de quebrar blocos de grande dimensão sem ter possibilidade de usar explosivos", explicou Susana Abrantes, da Refer.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG