Costa "tranquilo" com os juros da dívida

Primeiro-ministro foi hoje ao grupo parlamentar do PS falar sobre o OE 2016. À saída, comentou a subida das 'yelds'

Existem "todas as razões para estarmos tranquilos", disse ao princípio da tarde o primeiro-ministro, comentando a subida dos juros da dívida.

Falando aos jornalistas no Parlamento, depois de uma reunião com a bancada socialista, António Costa relativizou o problema dizendo que a "agitação" que tem ocorrido no mercado da dívida é "ao nível internacional", em particular na zona euro - ou seja, não é um problema específico de Portugal.

Desconhecendo ainda as conclusões da reunião do Eurogrupo, Costa disse estar "certo" de que a reunião dos ministros das Finanças da zona euro iria "reforçar a confiança" na capacidade de o Governo português gerir convenientemente o OE 2016.

"Estamos bem cientes da necessidade de prevenir riscos" na execução orçamental, afirmou o chefe do Governo, sublinhando que a Comissão Europeia "não recusou" a proposta de OE que o Governo lhe enviou.

António Costa disse ainda que "não há perspetiva" de a DBRS, uma agência canadiana de rating, baixar a sua avaliação sobre a dívida portuguesa. É o rating desta agência que permite ainda a Portugal aceder ao programa do BCE pelo qual a dívida portuguesa é comprada a juros baixos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG