Costa quer Portugal a crescer mais do que a UE durante uma década

António Costa chegou cerca das 19.30 à praça de Faro onde está a decorrer a "rentrée" do PS e antecipou tópicos do discurso que fará

"Temos de construir uma década de confiança", o crescimento atual da economia maior do que a média da UE "não pode ser um pequeno intervalo numa longa estagnação, é necessário ser prolongado para a próxima década", disse hoje o líder do PS, ao entrar na festa de rentrée do PS, em Faro.

António Costa sublinhou a "necessidade de nos prepararmos para uma estratégia de media prazo", enfatizando também - num recado dirigido ao PSD - a necessidade de um "consenso politico e social que mobilize o país" que "torne possível aquilo que já mostrámos ser possível - crescer, criar emprego, emprego com dignidade, qualificado e melhorar a nossa situação orçamental".

Quanto aos incêndios do verão - em particular o de Pedrógão, que matou 64 pessoas - o líder socialista pediu que se aguarde "serenamente" a conclusões do trabalho da comissão independente criada no Parlamento "para apurar as responsabilidades e conclusões". "Temos vindo a tornar públicos os relatórios da proteção civil, há uma comissão, devemos aguardar", "não vamos antecipar os resultados".

Segundo acrescentou, "há falhas que são detetadas e são logo corrigidas". Assim, a ministra da Administração Interna "concretizou a aquisição" de novas antenas satélite. E "ainda ontem a PT veio reconhecer, e está a trabalhar finalmente com o Governo, para podermos ter uma solução de podermos enterrar os cabos e termos um sistema de redundância".

Concluindo, afirmou que "aquilo que temos de assegurar é continuidade na mudança de políticas que está a ter bons resultados na economia" porque "há uma ideia que precisamos de ter presente: boas políticas dão bons resultados, más políticas dão maus resultados".

Antecedido pelo presidente do PS, Carlos César, António Costa deverá intervir na rentrée socialista depois das 21:00.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG