Confederação de Pais considera que ensino da informática devia ser antecipado

A presidente da Confederação Nacional Independente de Pais e Encarregados de Educação defendeu hoje que a disciplina de Tecnologias da Informação Comunicação (TIC) deveria ser deslocada do 9.º ano de escolaridade para o início do 2.º ciclo.

Maria José Viseu, que comentava a possibilidade de se acabar com aquela disciplina no 9.º ano, disse que "não faz sentido nenhum ter nesse ano de escolaridade uma matéria como a informática, uma vez que os jovens nessa idade já dominam claramente as novas tecnologias.

"Os jovens sabem manusear perfeitamente um computador. Começam a ter contacto com os computadores muito cedo logo com o Magalhães. Fazia mais sentido colocá-la no início do 2.º ciclo", salientou Maria José Viseu, realçando também que mesmo na escola a maior parte dos trabalhos são feitos desde muito cedo com recurso à informática.

O ministro da Educação, Nuno Crato, disse em entrevista ao jornal Público de hoje que o número de disciplinas vai ser reduzido, avançando com a possibilidade de o fazer com a informática no 9.º ano de escolaridade.

Nuno Crato justifica que "a maioria dos jovens já domina os computadores perfeitamente e é questionável que seja necessário ter uma disciplina de TIC" nesse ano.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG