Como será o futuro da saúde digital?

Estará a sociedade preparada para o futuro da saúde digital? Estarão as empresas direcionadas para essa constante inovação? Na 3.ª edição do HINTT foram apresentados vários projetos candidatos ao Prémio HINTT 2019 que visam essa mesma inovação e transformação digital no futuro da saúde em Portugal.

Que a tecnologia já se encontra espalhada pelos quatro cantos do mundo e que, todos os dias, entra como um tsunami na vida da sociedade, já é conhecimento comum. Mas qual será o futuro desta sociedade tecnológica? Que futuro está reservado para a tecnologia na área da saúde?

Foi no dia 3 de outubro de 2019, que as centenas de pessoas que se encontravam no auditório da Fundação Champalimaud ouviram os masters da tecnologia falar sobre o futuro da mesma na saúde, com exemplos práticos e que inspiraram muitos a seguir os mesmos passos.

Sob o tema Maturidade Digital, o Premio HINTT 2.ª edição (Health Intelligent Talks & Trends) pretendeu reconhecer e divulgar os projetos com as melhores práticas de adoção das TIC, com vista a explorar o papel mais intervencionista do doente na prevenção e monitorização da sua saúde, assim como na gestão da doença.

Um futuro mais consciente

Este evento promovido pela Glintt (Global Intelligent Technologies), multinacional de tecnologia e consultoria, começou com a palavra de Nuno Vasco Lopes, presidente da comissão executiva da Glintt, que deixou claro que se tem de estar sempre centrado nas pessoas e nas suas necessidades.

Após esta intervenção, entrou em palco, para expor as suas ideias sobre o que o futuro reserva, Rudy de Waele. Para explicar como as tecnologias exponenciais estão a impactar o sistema de saúde, começou por referir que: "o mais importante não é saber o que o futuro nos espera, mas sim ter a consciência das escolhas que temos para decidir sobre o futuro que queremos ter". Por isso, é fundamental existirem líderes que apoiem a sociedade a atingir tudo o que pode, como resolver a fome mundial ou o aquecimento global, o que, segundo Rudy, é possível se a sociedade se tornar mais consciente.

Já na saúde, Rudy aponta as tecnologias como ferramentas fulcrais, nomeadamente a inteligência artificial e a impressão em 3D, que já permitiu avanços na medicina, como transplantes faciais e novos aparelhos auditivos. No entanto, a maior inovação passa pela medicina preventiva, permitida pelos avanços na genómica. Para concluir, o orador referiu que é necessário alterar-se a mentalidade da sociedade para o pressuposto de que a tecnologia pode ajudar, mas não pode salvar se não houver consciência humana.

Colaboração para inovação

Entusiasta da transformação dos cuidados de saúde, foi Jan-Philipp Beck - CEO do EIT Health, o segundo orador do Hintt. Antes de falar sobre o seu grande projeto, Jan referiu que na saúde não basta descobrir algo, é necessário perceber se essa descoberta é inovadora. E para isso é necessário que existam parceiros de apoio. Desta forma, o EIT Health pretende apoiar a inovação ao ser um consórcio europeu de parceiros da área da saúde, com vista a ultrapassar as necessidades de saúde dos europeus, através de cerca de 140 parceiros, nos quais a Glintt está incluída.

Juntamente com os melhores inovadores na área da saúde, o EIT Health tem três objetivos: melhorar o sistema de saúde na Europa, promover a saúde aos cidadãos e contribuir para uma economia da saúde mais sustentável. Para isto, identifica quais as necessidades na área da saúde a partir dos pacientes, que são o foco. Assim, Jan-Philipp Beck deu o exemplo de um projeto que contou com o apoio do EIT Health: o Rehabilition Gaming System, que é um sistema de reabilitação por jogos.

O hospital do futuro

Para terminar, a convidada Hyojung Cho, da Samsung Medical Center, na Coreia do Sul, viajou do outro lado do mundo para dar o exemplo de como a tecnologia pode ser aproveitada para um melhor funcionamento dos espaços e das capacidades humanas. Hyojung Cho explicou como este hospital de renome melhora o seu funcionamento através da tecnologia.

Com o objetivo de obter eficiência e segurança para o doente, é utilizado o sistema computorizado Darwin. Com este sistema, que beneficia os pacientes e a equipa médica, o doente pode marcar consultas online, pode enviar os exames para o hospital e se houver alterações é notificado por mensagem ou pela app. Aquando da consulta, a receção é feita pela app, pode medir o seu próprio batimento cardíaco, e, visto que cada médico apenas possui

3 minutos por paciente, o programa mostra tudo sobre o doente, de forma resumida. Depois da consulta, as receitas são enviadas para a farmácia e os exames são computorizados. Com estas inovações, o Samsung Medical Center pretende ser um hospital de futuro e inspirar outros países a seguir os seus passos.

A próxima edição do HINTT já tem data marcada, como referiu Filipa Fixe,administradora executiva da Glintt, no término do evento, para dia 1 de outubro de 2020, na Fundação Champalimaud. Por sua vez, as candidaturas ao Prémio HINTT 2020 podem ser submetidas tendo em consideração as mesmas 4 categorias deste ano. O limite de entrega das candidaturas é o dia 31 de maio de 2020. Se tem algum projeto diferenciador increva-se através do e-mail premiohintt@glintt.com. Aceda ao site hintt.glintt.com e consulte o regulamento.

Premiar a inovação na saúde em Portugal

Dos 10 finalistas da 2.ª edição do Prémio HINTT, foram 4 os vencedores, cada um na sua categoria: Startup Innovation, Clinical Outcomes, Patient Safety e Value Proposition. Mas apesar de serem distintos, para Filipa Fixe, administradora executiva da Glintt, todos os vencedores tiveram em consideração os três tipos de medicina do futuro (medicina personalizada, medicina preventiva e Point Of Care). O Dr. José Martins Nunes e Filipa Fixe procederam à entrega dos prémios.

10 Finalistas

Rehabvisual (Universidade Nova de Lisboa e Hospital D. Estefânia)

Plataforma inovadora na área da reabilitação que provoca estímulos visuais para crianças com alterações cognitivas.

Diastopt (CEFITEC)

Projeto centrado na otimização do processo de diagnóstico do doente suspeito de cancro do pulmão, reduzindo o tempo de diagnóstico e possíveis falhas associadas.

SNS 24 (Serviços Partilhados do Ministério da Saúde)

Centro de contacto de emergência telefónico e digital, onde é prestada ajuda médica e administrativa, como marcação de consultas.

Cuidar da Mulher Sobrevivente do Cancro da Mama (IPO Coimbra)

Plataforma digital com entrada de informação clínica aquando da alta do doente e registos seriados ao longo dos follow-ups e cuidados de saúde primários.

Heart Failure Medicine Club (Novartis)

Projeto que permite o acesso mais rápido e uma maior progressão do tratamento ao doente de insuficiência cardíaca. Integra a ferramenta Upsim, para aprendizagem rápida e intuitiva e que permite chegar a mais doentes e fazer um diagnóstico mais correto.

b2quant

Projeto com o objetivo de estender a influência da análise quantitativa de imagem nos serviços de neurorradiologia, contribuindo para um tratamento mais personalizado.

4 Vencedores

Categoria: Clinical Outcomes

Peekmed

- Dispositivo médico baseado em software que permite ao médico ortopedista perceber, com extremo detalhe, qual o problema do paciente a 3D e simular diferentes soluções até atingir a ótima.

"Estamos a começar a atacar mercados europeus e internacionais, nomeadamente na América. Desta forma, o Prémio Hintt pode-nos ajudar a "pôr o pé" em algum destes mercados, para que possamos perceber quais são as suas necessidades e como podemos delinear a estratégia. Porque do ponto de vista do paciente, com o nosso projeto, poderá recuperar das cirurgias ortopédicas mais rapidamente, melhorando a sua qualidade de vida."

Categoria: Clinical Outcomes

VR4Neuropain

NOVA.ID.FCT

- Luva inteligente que combina feedback tátil na interação com realidade virtual, assim como recolha de bio sinais, permitindo reabilitação e fisioterapia baseadas nas novas tecnologias.

"A nossa solução traz um paradigma novo na área da reabilitação, pois é uma abordagem centrada na pessoa e integra a realidade virtual. Com esta ferramenta temos feedback em tempo real, o que permite perceber a evolução do paciente e também a componente da gamificação. E, por isso, o Prémio Hintt traz ainda mais valor, pois permite divulgar o projeto, validar a solução e vai permitir-nos finalizar o processo de validação."

Categoria: Patient Safety

FarmaTrack (Hospital Lusíadas de Lisboa)

- Solução barcode que permite fazer o circuito fechado do medicamento, eliminando o risco clínico e aumentando a segurança do doente relativamente a doses, horários e tipos de medicação.

"O projeto apresenta vantagens para os cuidados de saúde, pois permitirá a redução do erro humano na administração de medicamentos. Possibilitará também aos profissionais de saúde uma maior humanização do atendimento, garantindo uma melhor experiência e segurança dos pacientes. Desta forma, o Prémio Hintt reforça a qualidade dos serviços de saúde que prestamos nos hospitais, destacando a importância do uso da tecnologia no setor da saúde. Esta distinção acaba por motivar uma aposta contínua na adoção da tecnologia ao serviço dos nossos clientes".

Categoria: Value Proposition

Centro Hospitalar São João em parceria com a Faculdade de Medicina do Porto e a Priberam

- Projeto que agrega informação clínica do doente dispersa nas várias plataformas e em vários formatos, compila-a e retira o que é clinicamente mais relevante.

"Este é um projeto que tenta apresentar às equipas médicas toda a informação clínica, de forma automática e simples, enaltecendo as informações mais relevantes e palavras-chave das patologias. É algo nunca antes feito e que nós começámos a implementar este ano. Por isso, o Prémio Hintt permite-nos criar outros produtos a partir do projeto inicial e implementá-lo noutras instituições".

Exclusivos