Como Noruega, Islândia e Liechtenstein estão a ajudar os jovens da Amadora

RH+50 é uma associação de quadros superiores que está a desenvolver um dos 21 projetos apoiados pela Gulbenkian no âmbito do emprego jovem. A Fundação promove hoje uma conferência sobre o tema.

Têm formação superior, a maioria com mais de 50 anos e são reformados. Acharam que não podiam guardar a experiência numa gaveta e criaram há três anos a RH+50. O próximo objetivo é ajudar os alunos de cursos profissionais de uma escola na Amadora a conseguir emprego.

"Emprego Jovem e Empreendedorismo social Social: Novos Caminhos" é o tema de uma conferência na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, que junta experiências de vários países.

A Fundação é responsável por gerir os fundos do Mecanismo Financeiro do Espaço Económico Europeu (EEA Grants) destinado às Organizações Não Governamentais. Trata-se de uma contribuição dos países da EFTA (Noruega, Islândia e Liechtenstein) como contrapartida da abertura dos mercados da UE aos seus produtos e serviços.

O fundo destina-se aos 16 países mais pobres da UE, nomeadamente Portugal, e uma das apostas é o emprego jovem.

Leia mais pormenores na edição impressa ou e-paper do DN

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG