Comissão de Assuntos Constitucionais admite marcar nova audição com Silva Carvalho

O presidente da Comissão de Assuntos Constitucionais, o social-democrata Fernando Negrão, admitiu hoje a possibilidade de o ex-diretor do Serviço de Informações Estratégicos de Defesa (SIED) Silva Carvalho ser chamado a depor segunda vez no Parlamento.

Fernando Negrão falava aos jornalistas no final de uma reunião com coordenadores de grupos parlamentares da Comissão de Assuntos Constitucionais, que teve como objetivo decidir qual o destino a dar a um envelope com documentos sobre a atividade das "secretas" entregue quarta-feira pelo deputado socialista Sérgio Sousa Pinto.

O presidente da Comissão de Assuntos Constitucionais começou por frisar que foi Silva Carvalho quem pediu há cerca de dois meses para ser ouvido pelo Parlamento.

"Quarta-feira foi ouvido e na sua versão são dados novos que trouxe para análise desta comissão. Nessa medida a audição foi importante", disse.

Depois, Fernando Negrão apontou que a Comissão de Assuntos Constitucionais, no âmbito deste caso das "secretas", entrará numa nova fase, até com a repetição de audições, designadamente do presidente do Conselho de Fiscalização do SIRP [Marques Júnior]".

"A seguir, veremos então se há necessidade de ouvir de novo outras pessoas, designadamente Silva Carvalho", disse.

Interrogado sobre a possibilidade de o secretário-geral dos Serviços de Informações da República Portuguesa (SIRP), Júlio Pereira, ser chamado a depor na Comissão de Assuntos Constitucionais, Fernando Negrão referiu que essa decisão só será tomada após a audição do presidente do Conselho de Fiscalização do SIRP [Marques Júnior]".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG