Colômbia: Portugal vai retirar observador da ONU

Oficial português foi um dos observadores da ONU que dançou com uma guerrilheira das FARC na noite de final de ano.

O Estado-Maior General das Forças Armadas (EMGFA) mandou regressar a Portugal o oficial da Marinha, destacado na missão de observação da ONU na Colômbia, que foi filmado a dançar com uma guerrilheira das Forças Armadas Revolucionárias Colombianas (FARC).

O porta-voz do EMGFA adiantou ao DN que a substituição do oficial superior da Marinha por outro militar português está dependente das negociações com a ONU.

Na base da decisão, segundo uma fonte ouvida pelo DN, esteve a violação de uma "regra básica" nas missões da ONU: os observadores só podem participar em eventos onde estejam também as duas partes em conflito - e, no caso, não estavam presentes os representantes governamentais.

O caso ocorreu na noite de fim de ano, quando pelo menos três observadores da ONU destacados numa área das FARC participaram nos festejos da passagem de ano.

Para o EMGFA, segundo o comunicado entretanto enviado às redações, os acontecimentos "afetaram as condições para a continuidade da missão" do oficial superior da Marinha, pelo que se "determinou o fim da respetiva comissão e o seu regresso a Portugal".

O acordo entre governo e FARC, que deu o Nobel da Paz de 2016 ao presidente colombiano, Juan Manuel Santos, foi rejeitado em referendo mas as partes acabaram por retomar o processo.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG