Chamas chegaram a ameaçar aldeia de Figueiró dos Vinhos

O incêndio que deflagrou ao início da tarde de hoje em Figueiró dos Vinhos chegou a ameaçar a localidade de Aldeia De Ana de Avis, mas está a evoluir favoravelmente, disse à Lusa o autarca daquele município.

"O incêndio está a evoluir favoravelmente", disse o presidente da Câmara de Figueiró dos Vinhos, Rui Silva, na expectativa de que nas próximas horas o incêndio possa ser dado como controlado, "graças ao trabalho em equipa de bombeiros, GNR e da utilização de meios aéreos".

O autarca social-democrata frisou que as chamas foram controladas na Aldeia de Ana de Avis, onde chegaram a ameaçar casas e obrigaram à retirada da população.

A expectativa de Rui Silva é que "durante a noite sejam efetuados trabalhos de consolidação e de vigilância para evitar reacendimentos".

A Aldeia De Ana de Avis foi também o local onde o bombeiro Vítor Mundinho, de 51 anos, faleceu, depois de cair numa ribanceira que estava a ser consumida pelas chamas.

A viatura onde seguia sozinho, ao regressar de ter abastecido o depósito com água, foi apanhada pelas chamas, que a destruíram completamente, constatou a Lusa no local.

Esta é uma zona florestal no meio do eucaliptal, numa estrada com curvas pronunciadas e é o local de paragem obrigatória dos bombeiros que estão lutar contra o fogo.

Para reforçar o combate ao incêndio, estão a deslocar-se corporações do oeste do distrito de Leiria, como Peniche e Alcobaça, entre outras.

Pelas 20:10, 285 operacionais combatiam as chamas, que se mantêm em duas frentes a consumir floresta. Foram acionados 78 veículos e continuar quatro meios aéreos a tentar apagar o incêndio: dois aviões bombardeiros e dois helicópteros.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG