CGTP acusa Governo de usar "a política do bandido"

A CGTP acusou hoje o Governo de estar a tornar o diálogo social numa farsa, tendo em conta o agendamento do processo legislativo que vai permitir a redução das indemnizações por cessação do contrato de trabalho.

"Estamos a assistir ao desrespeito pelos direitos de participação dos trabalhadores, o comportamento deste Governo mostra que o diálogo é uma farsa", disse o secretário-geral da CGTP Manuel Carvalho da Silva aos jornalistas.

Carvalho da Silva, que falava em conferência de imprensa no final de uma reunião do Conselho Nacional da central, referiu a reunião de terça-feira entre o secretário de Estado da Economia e do emprego e os parceirtos sociais, que se realizou sem qualquer documento de suporte.

O sindicalista referiu ainda a marcação de uma reunião de concertação social para dia 27 quando a proposta legislativa do Governo para a redução das indemnizações foi hoje aprovada em Conselho de Ministros.

"O Governo usa a política do bandido: dispara primeiro e pergunta depois", disse Carvalho da Silva lembrando que a mesma proposta legislativa vai ser aprovada na generalidade pela assembleia da República no dia 28 e o respectivo período de discussão pública decorrerá em pleno mês de Agosto, que é um período de férias por excelência.

O líder da CGTP assegurou, no entanto, que a central sindical vai fazer um esforço para analisar a proposta legislativa assim que ela fôr tornada pública e promover reuniões das estruturas sindicais e plenários de trabalhadores para assegurar que a posição dos trabalhadores dará entrada na Assembleia da República dentro do prazo estabelecido.

Carvalho da Silva manifestou ainda a sua convicção de que a redução das indemnizações é uma forma de facilitar os despedimentos porque os torna mais baratos.

A CGTP marcou já uma reunião da sua Comissão Executiva para 29 de Agosto para decidir que ações vão desenvolver em agosto em Setembro.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG