Cerimónias fúnebres de D. José Policarpo já começaram

O Presidente da República chegou à Sé de Lisboa às 16.00. Está tudo a postos para iniciar as cerimónias fúnebres de D. José Policarpo.

A Sé Catedral de Lisboa está repleta de fiéis e decorada com as diferentes coroas de flores que têm sido enviadas.

A urna, contendo os restos mortais do cardeal, falecido na passada quarta-feira, encontra-se fechada e colocada frente ao altar-mor. Sobre a urna, escoltada por cavaleiros da Ordem do Santo Sepulcro e também por um agente da Polícia Municipal de Lisboa, encontra-se aberto o Evangelho.

A missa de corpo presente será celebrada pelo patriarca de Lisboa, Manuel Clemente, sendo neste momento, grande o número de sacerdotes que se paramentam para também participarem no serviço religioso.

Na Sé de Lisboa estão vários políticos a assistir ao funeral, designadamente os ministros Mota Soares e Assunção Cristas, o presidente do Tribunal de Contas, Guilherme de Oliveira Martins, o presidente do Supremo Tribunal de Justiça, Henriques Gaspar, o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, António Costa, o deputado do CDS/PP Telmo Correia e os ex-ministros Bagão Félix e Manuel Maria Carrilho. Pedro Santana Lopes, provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa também está presente nas cerimónias.

António José Seguro, secretário-geral do PS, chegou à Sé de Lisboa acompanhado de Pedro Silva Pereira.

Quem também está presente no funeral é Duarte Pio de Bragança, que à entrada recordou José Policarpo, mostrando-se "muito grato por ter sido ele a iniciar o processo de canonização de D. Nunes Álvares Pereira".

Duarte Pio de Bragança disse ainda que o cardeal marcou a história da Igreja em Portugal.

A saída do funeral a pé em direção ao panteão dos patriarcas, no mosteiro de São Vicente de Fora, será integrado por várias personalidades, entre elas um grupo de professores da Universidade Católica Portuguesa, da qual José da Cruz Policarpo foi reitor.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG