Veleiro alemão removido da praia do Cabedelo

O veleiro alemão naufragado na quarta-feira à entrada do porto da Figueira da Foz foi hoje removido da praia do Cabedelo, numa operação que envolveu uma grua de grandes dimensões e decorreu ao longo de cinco horas.

O veleiro "Meri Tuuli", registado em Hamburgo, foi removido da praia cerca das 11:30 e colocado, já na estrada, num pórtico automatizado que o vai levar para um estaleiro das imediações, onde os estragos da embarcação serão avaliados.

"Foi uma operação que envolveu alguns meios, até pela distância a que o veleiro estava da estrada", disse à agência Lusa Jorge Campos, da Transgrua, uma das empresas que participaram nos trabalhos.

A operação começou ao início da manhã com a preparação da grua de 400 toneladas e um braço de 60 metros, que foi esticado sobre a duna até chegar ao veleiro de 13,5 metros de comprimento, 4,3 metros de largura e 10 toneladas de peso, que se encontrava no areal, ligeiramente tombado.

"Para nós é um trabalho normal, sem dificuldades acrescidas. Se estivesse mais perto do mar era mais complicado", adiantou.

Depois de estabilizada na areia com recurso a uma máquina retroescavadora e presa com cintas e cabos, a embarcação foi retirada, em cerca de 10 minutos, e colocada no pórtico - com capacidade para transportar até 50 toneladas - propriedade do estaleiro.

"Vai para as nossas instalações para ser avaliado e os trabalhos de reparação orçamentados. Se é reparado aqui ou não, depende da companhia de seguros [alemã, responsável pela operação de remoção]", frisou, por seu turno, Henrique Pires, da Sirius Assistência Náutica.

Na operação de remoção do veleiro, acompanhada por várias dezenas de populares, participaram ainda meios da Polícia Marítima, GNR, PSP e Bombeiros Municipais da Figueira da Foz.

O naufrágio da embarcação alemã e de uma lancha da Polícia Marítima que lhe prestava assistência e que acabou por se virar devido às condições do mar provocou dois mortos, um homem de 47 anos, tripulante do veleiro, e de Adriano Martins, agente da Polícia Marítima, de 41 anos.

Dos seis feridos que deram entrada no Hospital Distrital da Figueira da Foz, mantém-se internado um homem de 43 anos, que apresenta uma fratura num ombro.

Fonte hospitalar disse que o homem vai ser sujeito a uma intervenção cirúrgica nos próximos dias.

"Está bem de saúde, bem-disposto, mas tem de tomar medicação até poder ser operado", frisou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG