Tonelada e meia de explosivos no esconderijo da ETA

O material explosivo encontrado pela GNR (Guarda Nacional Republicana) numa casa em Óbidos, que terá sido usada como esconderijo da ETA, ascende a tonelada e meia, anuncia o Ministério do Interior espanhol, num comunicado citado pela AFP. Andoni Zengotitabengoa e Oier Gómez Mielgo, alegados membros da organização terrorista basca, eram os inquilinos desta moradia.

De acordo com fontes da luta antiterrorista, citadas pelo 'El País', na casa de Casal Avarela, em Óbidos, as autoridades portuguesas encontraram 1330 quilos de nitrato de amónio, distribuídos por doze bidons, 75kg de nitrato de potássio, em três sacos, 40 litros de ácido sulfúrico e quantidades variadas de pentrita, pó de alumínio e nitrometano.

Tonelada e meia de explosivos é uma quantidade muito superior ao valor inicialmente avançado pelo comandante do Centro de Inactivação de Explosivos da GNR, Hélder Barros, que falara em meia tonelada. Já esta tarde, fontes da Guarda Nacional Republicana tinham corrigido esse valor, estimando que a quantidade de explosivos ultrapassava os 700 quilos. Os 1500kg é a quantia avançada pelas autoridades espanholas, citando os números fornecidos pelas congéneres portuguesas.

Além dos explosivos, a GNR apreendeu quatro detonadores e outro material para produzir bombas,, matrículas portuguesas, computadores portáteis e mapas de Portugal, Espanha, das cidades de Cádiz e Madrid e do Norte de Portugal. Nos dois primeiros mapas citados havia inscrições que ainda estão ser analisadas. Também havia na casa três telemóveis com inscrições 'Madrid', 'Portugal' e 'Cádiz' e uma caixa denominada 'Mundo', que, segundo disse o Ministério do Interior espanhol ao 'El País', se trata de um tipo de tarifário telefónico.

Inquilinos com ordens de captura

Os inquilinos da moradia já identificados são  Andoni Zengotitabengoa Fernández e Oier Gómez Mielgo (admite-se que a célula era formada por um terceiro elemento). Ambos são alvos de mandados de captura por parte da justiça espanhola e são nesta altura também visados pelas autoridades portuguesas.

Andoni Zengotitabengoa Fernández tem 30 anos e foi condenado a 13 anos e três meses de prisão por danos e coacções de carácter terrorista, atentado contra agentes da autoridade e posse de substâncias inflamáveis e incendiárias, adianta o 'El País'. O suspeito foi identificado através das imagens captadas pelas câmaras de vigilância de um supermercado situado perto da moradia, visionadas depois de a GNR ter encontrado um recibo de compras desse estabelecimento comercial.

Já Oier Gómez Mielgo foi 'traído' por uma fotografia de um cartão que deixou para trás, na casa. O suspeito, de 26 anos, é procurado em Espanha por crimes de terrorismo e participação na 'kale norroka', luta de rua promovida pela ETA (Euskadi Ta Askatasuna, em português Pátria Basca e Liberdade).

Os explosivos encontrados foram entretanto detonados, de forma controlada, numa pedreira próxima da casa. A descoberta destes explosivos nesta casa de Óbidos é o maior golpe no grupo terrorista basco desde o Verão de 2009, quando foram encontrados 500 quilos de material em 15 esconderijos em França.

Ao longo de todo o ano passado, foram desarticulados 22 esconderijos da ETA, dos quais 18 em França, o que permitiu confiscar cerca de uma tonelada de explosivos no total.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG