PJ invade Câmara de Benavente

Gabinete e casa do presidente alvos de buscas por suspeita de corrupção no licenciamento de obras.

A Unidade de Combate à Corrupção (UCC) da Polícia Judiciária (PJ) passou ontem a pente fino todos os departamentos da câmara municipal de Benavente, com incidência no gabinete de obras particulares. Em causa estão suspeitas de alegadas irregularidades no licenciamento para a construção de imóveis.

As buscas estenderam-se à casa e gabinete do presidente da autarquia, António José Ganhão, há 32 anos no poder, eleito pela CDU, assim como à casa do vereador que tem o pelouro das obras particulares e do urbanismo Miguel Cardia, de outros dois engenheiros funcionários da autarquia e de vários empresários. As autoridades suspeitam de crimes de corrupção, tráfico de influências, crime de participação em negócio e de favorecimento pessoal. Ao que apurou o DN, as suspeitas sobre a autarquia iniciaram-se em 2008, no seguimento de uma acção de fiscalização levada a cabo pela Inspecção-Geral da Administração Local (IGAL). Os inspectores remeteram, na altura, várias certidões para o Ministério Público (MP) do Tribunal de Benavente reportando várias suspeitas de irregularidades no licenciamento de obras.

Leia mais pormenores no e-paper do DN.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG