Parques cheios e grande afluência em Fátima

Parques cheios e uma afluência anormal de autocarros estão a obrigar ao encaminhamento destes veículos para as zonas envolventes da Cova de Iria, disse hoje à Agência Lusa o comandante da GNR de Santarém.

"Já estamos a desviar os autocarros e a estudar alternativas" como a sede da freguesia de Fátima, explicou o coronel Corte Real.

O militar admitiu o estrangulamento do nó de acesso à autoestrada (A1) e uma fila que está a obrigar à paragem dos veículos, "um cenário que já tinha sido previsto", salientou.

O comandante frisou que a maioria das pessoas que chegou no sábado permaneceu em Fátima e encheu os parques, o que a somar-se à "chegada anormal de autocarros" está a provocar "uma situação que sai completamente da norma".

As autoridades esperam cerca de 300 mil fiéis em Fátima neste domingo, tendo a GNR mobilizado um dispositivo de 500 militares.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.