Criança de 18 meses morreu numa colisão entre carros

Uma criança com cerca de 18 meses morreu hoje na sequência da colisão entre duas viaturas na estrada nacional 118, junto a Benfica do Ribatejo, num acidente que provocou mais quatro feridos, informou fonte da protecção civil.

Segundo disse à agência Lusa o Comando Distrital de Operações de Socorro de Santarém, a criança, que sofreu uma paragem cardiorrespiratória ainda foi transportada para o hospital de Santarém, mas acabou por falecer. Dos outros feridos, dois são considerados em estado grave e dois ligeiros, disse, adiantando que o acidente ocorreu cerca das 13.15.

De acordo com a mesma fonte, foi enviado para o local do acidente um helicóptero do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), com um médico, uma vez que a viatura médica de emergência e reanimação do hospital de Santarém estava inoperacional. No local estiveram 22 elementos e oito viaturas das corporações de bombeiros de Almeirim e Salvaterra de Magos e ainda o núcleo de investigação criminal da GNR.

A colisão deu-se entre duas viaturas ligeiras, uma de passageiros e outra de mercadorias, adiantou.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Henrique Burnay

Falem do futuro

O euro, o Erasmus, a paz. De cada vez que alguém quer defender a importância da Europa, aparece esta trilogia. Poder atravessar a fronteira sem trocar de moeda, ter a oportunidade de passar seis meses a estudar no estrangeiro (há muito que já não é só na União Europeia) e - para os que ainda se lembram de que houve guerras - a memória de que vivemos o mais longo período sem conflitos no continente europeu. Normalmente dizem isto e esperam que seja suficiente para que a plateia reconheça a maravilha da construção europeia e, caso não esteja já convertida, se renda ao projeto europeu. Se estes argumentos não chegam, conforme o país, invocam os fundos europeus e as autoestradas, a expansão do mercado interno ou a democracia. E pronto, já está.