Hospital averigua desaparecimento de ouro de doentes

Um funcionário administrativo é suspeito do roubo de peças em outro dos doentes do Hospital de S. Teotónio, de Viseu, que estavam num cofre.

"Há, de facto, uma pessoa que terá sido indiciada por furto. A maior parte das peças já foi apreendida pela PSP", disse à agência Lusa Luís Viegas, do gabinete de relações públicas do hospital.

Segundo Luís Viegas, trata-se de um homem de 45 anos, funcionário do hospital "há mais de 15 anos" e que "era um dos quatro funcionários que sabiam o segredo do cofre e o que lá estava dentro".

Os furtos de cerca de meia centena de peças em ouro foram detectados pelos responsáveis do Hospital de S. Teotónio "no final do ano, mas podiam já vir a ser praticados há já algum tempo", acrescentou.

Luís Viegas garantiu que "todos os bens que são confiados ao hospital são alvo de procedimentos rigorosos". No caso das peças em ouro, são conferidas por várias pessoas até serem guardadas no cofre, dentro de um envelope "praticamente todo lacrado com etiquetas" relativas ao doente.

O levantamento é depois feito pelo próprio ou por algum familiar, junto do funcionário administrativo do serviço de admissão de doentes que estiver de serviço na altura, acrescentou.

A PSP não se pronunciou sobre o assunto.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG