Duas mulheres detidas por burla qualificada

A Polícia Judiciária (PJ), através da Diretoria de Lisboa e Vale do Tejo, identificou e deteve duas mulheres, de 63 e 64 anos de idade, ambas vendedoras ambulantes, pela presumível prática de um crime de burla qualificada.

A investigação no âmbito do qual se efetuaram estas detenções iniciou-se no passado mês de setembro, na sequência de uma queixa apresentada por uma mulher que há cerca de um ano fora abordada pelas detidas, as quais se lhe apresentaram com nomes que entretanto se apurou serem falsos e que a convenceram de que uma familiar sua padecia de um mal grave, mal esse que poderia ser curado caso lhes entregasse elevadas quantias de dinheiro, em notas, a fim de o mesmo ser "benzido".

Na sequência de tal abordagem e de posteriores encontros, a vítima ficou convencida de que a sua familiar efetivamente sofria do referido mal e, horrorizada pela situação, acabou por entregar às detidas, em encontros sucessivos, várias dezenas de milhares de euros, que levantou de contas bancárias e do qual as detidas se apoderaram.

As detidas foram presentes a primeiro interrogatório judicial para aplicação das medidas de coação tidas por adequadas. A PJ, no exercício das suas competências de prevenção da criminalidade, vem por este meio alertar, mais uma vez, todos os cidadãos que eventualmente sejam alvo deste tipo de abordagem, para não entregarem a ninguém qualquer objeto ou valor e reportarem a situação, de imediato, à autoridade policial mais próxima.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG