Câmara sobe incentivo à natalidade em famílias carenciadas

A Câmara Municipal da Marinha Grande vai aumentar o valor dos incentivos à natalidade para famílias carenciadas a partir de 01 de março, disse à agência Lusa a vereadora Cidália Ferreira.

As famílias com rendimentos inferiores a dois salários mínimos recebiam uma ajuda da Câmara no valor de 700 euros. A partir do próximo mês o incentivo autárquico cresce para mil euros.

Desde julho de 2010, o nascimento de um bebé em qualquer agregado familiar com residência na Marinha Grande era alvo de uma ajuda num montante de 500 euros. Nesses casos, a ajuda desce, a partir de março, para os 250 euros.

Uma decisão à qual não é alheia também, segundo Cidália Ferreira, a crise que o país atravessa.

"Vamos dar mais a quem precisa", explicou a vereadora responsável pelo pelouro da Ação Social.

Segundo a autarca, "esta ajuda tem vindo a fazer uma grande diferença no orçamento das famílias".

O apoio será dado em duas tranches de 500 euros, nos primeiros dois anos, "no momento em que as famílias mais gastam com o bebé, seja na roupa ou na saúde".

Entre julho de 2010 e dezembro de 2011 foram ajudadas 125 famílias da Marinha Grande.

Teresa Deodato é uma das mães que recebeu ajuda no final de 2010.

"Ajudou imenso, porque há muitas despesas. Não tive o filho para beneficiar da ajuda. Apenas coincidiu. Mas perguntei logo até quando duraria o incentivo, no caso de querer ter um segundo filho", disse hoje à agência Lusa.

Natural de Vieira de Leiria, mas a residir na Marinha Grande, Teresa Deodato aprova o aumento do apoio às famílias carenciadas, que abrange o seu agregado familiar, mas também a condição do dinheiro ser gasto no comércio do concelho.

"Tive de entregar provas de que as compras foram realizadas na Marinha Grande" e essa exigência "também é positiva para o concelho", sublinhou.

Odete Rodrigues, lojista na Marinha Grande, há dois anos que vende artigos para crianças até aos 12 anos.

Reconhece que o negócio cresceu 70 por cento entre 2010 e 2011, mas é-lhe difícil afirmar que parte do sucesso nas vendas cabe a este incentivo autárquico.

Contudo, mostra-se convicta de que os bons resultados surgem "porque a Câmara traz os clientes, de alguma forma, cabendo depois à loja fidelizar as pessoas".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG