Allan Sharif entrou no tribunal debaixo de insultos

 O luso-americano Allan Sharif, suspeito de ser o "cérebro" de um grupo acusado de ter cometido dezenas de crimes relacionados com assaltos a bancos, nomeadamente nos EUA, entrou hoje no Tribunal de Mangualde debaixo de insultos de populares.

Allan Guedes Sharif, detido em Junho de 2008 em Viseu, e mais sete homens e mulheres, a maioria seus familiares, começam hoje a ser julgados pelos crimes de extorsão qualificada, burla agravada e branqueamento de capitais de índole transnacional.

Allan Sharif, o único que se encontra detido, entrou pelas traseiras do tribunal cerca das 09.30, com o rosto destapado.

"És a vergonha de Torre de Tavares", gritou à sua passagem um dos populares que se deslocou ao tribunal.

"Criminoso", acusou uma mulher, que comentava com outra o facto de Allan Sharif ter sido responsável por a povoação de Torre de Tavares ficar conhecida no mundo, por maus motivos.

Junto ao tribunal, encontravam-se GIPS [Grupo de Intervenção de Protecção e Socorro] da GNR, agentes do posto local e uma equipa de detecção de explosivos.

O grupo actuaria através da abordagem telefónica, a partir de Portugal, de empresas onde funcionavam serviços financeiros da Western Union ou da Moneygram, situadas nos EUA, no Reino Unido, na Holanda e na Dinamarca.

Através da ameaça de deflagração de engenhos explosivos ou "com o uso de expedientes enganatórios", conseguia obter, através de transferências electrónicas, o pagamento de quantias monetárias em território português, que se estimam superiores a 190 mil euros.

Cerca das 10.00 o julgamento ainda não tinha começado.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG