CDS quer perceber se Portugal sai ou não do procedimento por défice excessivo

Cecília Meireles acusa o Instituto Nacional de Estatística (INE) de divulgar dados sobre o défice "incompletos"

A deputada do CDS Cecília Meireles afirmou esta quinta-feira, ser essencial perceber se Portugal sairá ou não do procedimento por défice excessivo, sublinhando que os dados divulgados sobre o défice são provisórios.

"Para nós, o essencial é perceber se o facto de o défice aparentemente ter ficado nos 3% tem efeitos ao nível do procedimento por défice excessivo", afirmou a deputada, em declarações aos jornalistas, no parlamento.

O défice das administrações públicas, em contas nacionais, foi de 4,4% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2015, um desempenho que foi penalizado pelo impacto negativo da resolução do Banif que corresponde a 1,4% do PIB.

Cecília Meireles relembrou ainda que o Governo "no início do processo Banif disse que seria possível não levar em conta o efeito Banif".

"Era importante perceber porque sair do procedimento por défice excessivo seria uma boa notícia para Portugal", disse.

Exclusivos