CDS-PP quer "intimar" Rui Pereira a apresentar relatório

O partido anunciou hoje que vai pedir uma "reunião de emergência" da comissão de Assuntos Constitucionais para "intimar" o ministro da Administração Interna a apresentar os resultados do inquérito aos problemas técnicos no processo eleitoral.

Em conferência de imprensa no Parlamento, o deputado do CDS-PP Nuno Magalhães argumentou que o ministro falhou o prazo com que se tinha comprometido para entregar os resultados do inquérito pedido à Universidade do Minho e que com isso "conseguiu protelar a sua audição no Parlamento".

"E é isso que nós não vamos deixar", afirmou Nuno Magalhães, admitindo usar um agendamento potestativo do partido para forçar uma audição urgente do ministro Rui Pereira na comissão de Assuntos Constitucionais.

Nuno Magalhães disse que se até hoje ao fim do dia o relatório não chegar ao Parlamento pedirá na quarta-feira "uma reunião de emergência da primeira comissão com vista a intimar o ministro da Administração Interna a comparecer imediatamente com o inquérito".

Rui Pereira disse no passado dia 25 de janeiro, na comissão de Assuntos Constitucionais, que pediu à Universidade do Minho que o inquérito fosse concluído em duas semanas.

Nuno Magalhães afirmou ainda esperar que o relatório do inquérito "seja completo e não inclua apenas as súmulas" e que tenham sido ouvidas "todas as pessoas que directa ou indirectamente" tenham responsabilidades na organização do processo eleitoral das presidenciais de 23 de Janeiro.

Tal como já tinha referido publicamente, o deputado Nuno Magalhães reiterou que os resultados do inquérito aos problemas técnicos registados no processo eleitoral não vão alterar a apreciação política que o CDS-PP já fez sobre as responsabilidades do ministro Rui Pereira.

"Este relatório é técnico e não vai apurar o que o ministro não quis ou não soube responder", afirmou, referindo que até hoje não se sabe se foi ou não recusado um reforço da verba destinada a informar os portugueses que mudaram o local da residência (e assim a assembleia de voto) quando fizeram o cartão do cidadão.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG