Cavaco não comenta casamentos homossexuais

O Presidente da República escusou-se hoje a comentar o diploma que vai permitir o casamento entre pessoas do mesmo sexo, salientando que a sua atenção está noutros problemas e que nada fará que provoque facturas na sociedade.



Questionado sobre como está a acompanhar o processo de aprovação das alterações ao Código Civil que permitem o casamento entre pessoas do mesmo sexo, o chefe de Estado foi peremptório em afirmar que a sua atenção está em outros problemas, nomeadamente no desemprego.

"A minha atenção está noutros problemas, no desemprego do país, no endividamento do país, no desequilíbrio das contas públicas, na falta de produtividade e de competitividade do nosso país", declarou.

Por isso, acrescentou, o seu empenho é na união dos portugueses, pois só assim Portugal conseguirá uma rápida recuperação económica.

"Eu procuro empenhar-me fortemente na união dos portugueses e nada fazer que provoque fracturas na sociedade portuguesa e, isto, porque eu sei muito bem, até como economista, que apenas através da união dos portugueses nós conseguiremos uma mais rápida recuperação económica e criação de emprego", sublinhou, insistindo que é com estas últimas questões que se preocupa e não com outras.

Interrogado se, então, o casamento entre pessoas do mesmo sexo não é para si uma prioridade, o Presidente da República reiterou que é com os "quinhentos e muitos mil" desempregados que está preocupado.

"E, como sei que a união de todos os portugueses é muito importante para a recuperação económica e criação de empregos, é aí que eu coloco toda a minha atenção. Portanto, estas são as questões que me preocupam, não são outras", reafirmou.

As alterações ao Código Civil que permitem o casamento entre pessoas do mesmo sexo, mas que excluem "clara e explicitamente" a possibilidade das mesmas se reflectirem em matéria de adopção foram aprovadas na quinta-feira pelo Conselho de Ministros.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG