Cavaco: "É fundamental garantir" a liberdade de circulação na UE

Presidente da República defende que a unidade europeia "é mais importante do que nunca" para vencer os desafios que enfrenta.

O Chefe do Estado considerou esta sexta-feira, em Lisboa, ser "fundamental garantir que a liberdade de circulação" na Europa "não seja posta em causa por propostas isolacionistas e xenófobas".

"A melhor forma de o conseguir é trazendo os valores da solidariedade e da coesão para o centro das políticas europeias, reforçando os laços entre os cidadãos europeus e garantindo o princípio da não-discriminação ou igualdade de tratamento", sublinhou Cavaco Silva.

O Presidente da República discursava nas cerimónias do 30º aniversário da adesão de Portugal às Comunidades Europeias, perante as mais altas figuras do Estado, atuais e antigos ministros, membros do corpo diplomático e personalidades como o seu antecessor, Jorge Sampaio, ou os ex-primeiros-ministros Francisco Pinto Balsemão e António Guterres.

Cavaco Silva frisou que "a unidade [entre os países membros] é mais importante do que nunca" por só assim poder "responder com eficácia e justiça ao desafio das migrações e do acolhimento dos refugiados", ou "lutar eficazmente contra o terrorismo, no respeito pelos direitos fundamentais e pelo Estado de Direito".

Num período em que "afloram tentações securitárias e nacionalistas", Cavaco Silva argumentou que "importa aprofundar a integração dos migrantes, promover canais legais de migração e assegurar uma política de controlo de fronteiras externas eficaz, mas com respeito pelos direitos fundamentais"

Além de "reiterar o reconhecimento devido a todos os que contribuíram para a adesão de Portugal às Comunidades Europeias" e "aos políticos que tiveram a visão, a audácia, e a determinação de avançar por este caminho", Cavaco Silva lembrou algumas das intervenções que fez enquanto primeiro-ministro e como Presidente da República em defesa do projeto europeu e do papel de Portugal.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG