Catarina Furtado com ébola? Serviços de saúde passam no teste

A apresentadora de televisão vestiu a pele de doente e ligou para a Linha Saúde 24 com sintomas da infeção. Teste serve para mostrar resposta nacional.

Sentada no sofá, Catarina Furtado liga para a Linha Saúde 24. Do outro lado do telefone, a enfermeira que atende a chamada faz as perguntas: esteve em viagem? Onde? Catarina responde que sim, em Nova Iorque. E antes disso, questiona a enfermeira. A apresentadora passou primeiro pela Serra Leoa, onde esteve em reportagem num centro de saúde. Passaram dez dias.

Está cumprido o primeiro critério, que leva a enfermeira a fazer mais algumas questões. Se tem febre, diarreia, dores de cabeça. Às respostas positivas, trata-se de um possível caso de ébola. O protocolo é acionado, dizem-lhe para ficar tranquila, que o INEM a vai buscar a casa, diretamente para o hospital Curry Cabral.

Catarina Furtado não passou realmente pela Serra Leoa, nem está doente. Foi a protagonista de um teste ao circuito de um possível contágio com o vírus que matou quase 5000 pessoas e regista 13 703 casos de contágio eorganizado pela Direção Geral da Saúde, que tem uma página com informação sobre a doença.

O objetivo foi a sensibilização do cidadão e "mostrar que dentro do possível estamos preparados", diz Graça Freitas, subdiretora geral da Saúde. Aos serviços de saúde já chegaram mais de 300 chamadas. "Muitas são pessoas que querem tirar dúvidas. Houve seis casos validados como suspeitos, mas deram todos negativos", acrescenta.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG