Caso de tráfico de armas para o IRA cai em tribunal

Tribunal de Olhão absolveu arguidos dos crimes de tráfico de armas agravado e ligação à organização terrorista da Irlanda do Norte

O Tribunal de Olhões absolveu, hoje, três arguidos acusados pelo Ministério Público de crimes de adesão a organização terrorista, associação criminosa e tráfico de armas agravado. Em causa estava uma operação montada no Algarve, em 2011, que pretenderia enviar um conjunto de pistola para o Exército Republicano Irlandês (IRA). Dois arguidos, Paulo Guerreiro, e Connor Shean foram condenado a quatro anos e dez meses de cadeia apenas por tráfico de armas simples.

O grupo, acusado de ligações ao Exército Republicano Irlandês (IRA, na sigla original), foi desmantelado em 2011 pela Unidade Nacional de Contra Terrorismo da Polícia Judiciária e três arguidos estão presos em Portugal, um está em liberdade e o quinto está na Irlanda e é alvo de um pedido de extradição das autoridades portuguesas.

Em declarações ao DN, Miguel Esperança Martins, advogado de Connor Shean apenas disse que irá "analisar o acórdão para apresentação de recurso". Apesar de os crimes mais graves terem caído em julgamento, o advogado declarou não estar satisfeito com a decisão do Tribunal de Olhão.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG