Carnide apela à indignação contra fecho de esquadra

A junta de freguesia de Carnide, através do seu presidente Fábio Sousa (CDU), está a incentivar a população a enviar e-mails ao ministro da Administração Interna, ao presidente da câmara de Lisboa e à PSP, para que não sejam fechadas duas das suas esquadras.

Fábio Sousa frisa que a PSP tem exercido "um grande trabalho de policiamento de proximidade e de combate à insegurança" naquela zona, e afirma que a polícia "tem sido um parceiro fundamental no Bairro Padre Cruz, o maior bairro municipal da Península Ibérica, onde residem cerca de sete mil pessoas, mais do que em muitos concelhos do país".

No projeto de reorganização da PSP esta entidade quer fechar 11 esquadras da capital, duas das quais em Carnide, nos bairros Padre Cruz e Horta Nova, conhecidos integrarem populações com diferentes nacionalidades. A PSP também pretende encerrar as esquadras de Santa Marta, Boavista, Mouraria, Rato, Zona J em Chelas, Campolide, Quinta da Cabrinha, Arroios e Santa Apolónia. Em alternativa serão abertos dois serviços de atendimento partilhado e de policiamento de proximidade (SAPPP).

Com este plano de reorganização, a PSP aponta para uma redução de gastos na ordem dos 53 mil euros. Esta poupança não terá qualquer impacte na redução da despesa do Estado mas este montante poderá ser investido na melhoria das condições de trabalho dos polícias. A polícia justifica esta reestruturação com o facto de querer direcionar 381 polícias, que atualmente estão nas esquadras, para funções de policiamento de rua.

Esta reorganização da PSP também abrange o Porto, onde está previsto que sejam encerradas oito esquadras de atendimento: na rua da Boavista, rua do Paraíso, Lagarteiro, São João de Deus, Leça da Palmeira e Areosa. Também se prevê que sejam fechados três postos de informação da polícia (Guifões, Leça do Balio e Vilar de Andorinho).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG