Candidatos a "vistos gold" investiram 210 milhões no imobiliário

Compras de imóveis com valor superior a 500 mil euros continuam a dominar pedidos. Novos dados revelam que, de novembro do ano passado a fevereiro, houve ainda transferência de 23,5 milhões para bancos em Portugal

O imobiliário continua a dominar a concessão de "vistos gold" a cidadãos estrangeiros. Os últimos dados, fornecidos pelo Ministério da Administração Interna ao deputado social-democrata José Cesário, revelam que entre novembro do ano passado a fevereiro os candidatos à autorização de residência investiram 210 milhões de euros na compra de imóveis com valor superior a 500 mil euros, uma condição para a atribuição do visto dourado. Em quatro meses, foram concedidas 376 Autorizações de Residência para Investimento.

As transferências de capitais para Portugal superiores a um milhão de euros resultaram num "encaixe" de 23,5 milhões. Ou seja, em quatro meses entraram em Portugal 233,5 milhões de euros. Neste período, porém, apenas um investidor teve direito ao visto pela criação de postos de trabalho. Segundo os dados do MAI foram criados 31.

No que diz respeito à nacionalidade dos candidatos, o Ministério da Administração Interna adiantou que as mais representativas são brasileira, angolana, chinesa, jordana, libanesa, russa, sul-africana e saudita.

A Autorização da Residência para Atividade de Investimento, foi introduzida há cinco anos como uma possibilidade para os investidores estrangeiros requerem uma autorização de residência em Portugal para efeitos do exercício de uma atividade de investimento mediante determinados requisitos, nomeadamente a realização de transferência de capitais, criação de emprego ou compra de imóveis.

Desde 2012 até ao final de dezembro do ano passo foram concedidas 2788 Autorizações de Residência para Investimento, das quais 2635 por via do requisito da aquisição de bens imóveis, pelo que esta modalidade representa cerca de 95% do total dos vistos atribuídos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG