Camionistas nas Guardeiras não concordam com termos do acordo e podem manter-se em paralisação

Os camionistas que desde segunda-feira estão em paralisação nas Guardeiras, Maia, são contra os termos do acordo entre Governo e associações, considerando que são os mesmos de 2008, não tendo decidido se continuam o protesto ou se desmobilizam.

Horas depois do anúncio de que associações e Governo chegaram a um acordo, os camionistas nas Guardeiras continuavam o seu protesto, iniciado segunda-feira naquela zona do concelho da Maia, mantendo-se também o dispositivo da GNR no local.

Em declarações aos jornalistas, Abel Dias disse que os camionistas vão continuar a paralisação até saber que tipo acordo foi conseguido, uma vez que não estão a concordar muito com ele. "De manhã vamos conversar com as pessoas que estiveram na reunião, com as associações, para ver o que é que se vai resolver", explicou.

Questionado sobre se iriam ficar no local durante a noite, Abel Dias disse que provavelmente sim, apesar de ainda ser necessário tomar a decisão final. "Vamos reunir novamente e vamos ver o que vamos fazer. Ainda não sabemos, ainda não tomámos decisões, vamos ponderar", respondeu.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG