Burlão plagiou tese de quadro do Banco Mundial

Nos seus contactos profissionais, Artur Baptista da Silva fornecia a "sua" tese de doutoramento, "Growth, Inequality and Poverty, Looking Beyond Averages", um documento plagiado a um quadro do Banco Mundial.

Para além de consultor das Nações Unidas, Artur Baptista da Silva intitulava-se professor catedrático, com o grau obtido numa universidade americana com a tese ""Growth, Inequality and Poverty, Looking Beyond Averages", a qual fornecia aos seus interlocutores. Porém, trata-se (ver ficheiros em anexo) de um plágio de um trabalho de Martin Ravallion, quadro do banco Mundial.

Uma rápida comparação entre ambos os trabalhos (o de Martin Ravallion encontra-se disponível da Internet), revela uma cópia perfeita.

Foi com este documento que, há poucos anos, Artur Baptista da Silva, intulando-se membro da direção do Instituto Piaget, solicitou a dois jornalistas a concepção de um projecto para a criação de um curso de comunicação social naquela instituição. Segundo um dos jornalistas abordados, "o projeto foi realizado e o senhor pagou-nos, não exigindo recebido".

O nome de Artur Bapista da Silva foi veiculado nas últimas semanas como um dos autores de um suposto estudo do Programa para o Desenvolvimento Humano das Nações Unidas sobre os impactos da austeridade em Portugal. Porém, como revela hoje a edição impressa do DN, tudo pode não passar de mais um burla praticada por alguém que tem um extenso passado criminal nesta área.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG