Bispo José Lai lamenta morte do "homem que amava Macau"

O bispo de Macau, José Lai, lamentou hoje a morte do patriarca emérito de Lisboa José Policarpo, "um homem que amava Macau", cuja obra ficará para sempre ligada à fundação do ensino superior católico no território.

"Ele foi o fundador do antigo Instituto Interuniversitário de Macau, que hoje é a Universidade de São José (USJ). Ele foi sempre o 'chanceler' desta instituição até ao ano passado, em que deixou de ser patriarca de Lisboa", disse à agência Lusa José Lai.

Em funcionamento desde abril de 1997, o Instituto Interuniversitário de Macau (IIUM) resulta da atividade da Fundação Católica para o Ensino Superior de Macau, cujos associados são a Universidade Católica Portuguesa e a Diocese de Macau.

José Lai recordou a visão do patriarca emérito de Lisboa "também como plataforma, como ponte, entre a cultura portuguesa cristã e a cultura oriental e chinesa em Macau".

"Penso que ele também tinha o objetivo de fundar este instituto interuniversitário para ajudar ao intercâmbio cultural", sustentou. José Lai recordou as deslocações frequentes do "saudoso patriarca" a Macau: "Ele vinha regularmente antes da fundação do instituto e também participou na inauguração das respetivas instalações - atual Universidade de São José situadas no Novos Aterros do Porto Exterior (NAPE)-, marcando presença na bênção do edifício. Além disso, esteve algumas vezes presente nas cerimónias de graduação e entrega de diplomas em Macau".

O bispo lamentou ainda o facto de D. José Policarpo já não assistir à inauguração do novo campus da USJ, em construção na Ilha Verde, na zona norte de Macau, e que, segundo disse no final de janeiro o reitor Peter Stilwell, deverá estar pronto a tempo do ano letivo 2015/2016.

O patriarca emérito de Lisboa será recordado em duas missas em Macau, ambas celebradas por José Lai, a 18 de março, quando se assinala o sétimo dia da morte de José Policarpo. A primeira homilia está agendada para as 12:00 (04:00 em Lisboa), no Seminário de São José, no âmbito da celebração de São José pela USJ, e a segunda para o final da tarde (18:00 locais ou 10:00 em Lisboa), na Sé Catedral. "É um homem que deixa obra ligada a Macau e isso é muito importante", concluiu José Lai.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG