BE quer referendo à privatização das Águas de Portugal

O Bloco de Esquerda defende a realização de um referendo à privatização da empresa Águas de Portugal e entregou na Assembleia da República uma proposta nesse sentido, revelou hoje, em Coimbra, Francisco Louçã.

"O Bloco de Esquerda lançou este fim de semana, formalmente na Assembleia da República, a iniciativa a favor de um referendo à privatização das Águas de Portugal. Queremos que esse referendo se realize", disse o coordenador do BE.

Fonte do Bloco esclareceu, a esse propósito, que a iniciativa bloquista tem a forma de projecto de resolução a ser votado na AR e deu entrada nos serviços do Parlamento na sexta feira.

Intervindo hoje no encerramento do Fórum Novas Ideias para a Esquerda, o coordenador do BE manifestou-se convicto que o referendo "será ganho, se a democracia for convocada".

Nesse sentido, Louçã apelou ao Partido Socialista "e a toda a esquerda", mas também a militantes do PSD e CDS, eleitores sem partido e cidadãos e cidadãs "que sintam o futuro posto em causa se a água for privatizada" e que se unam "para que esta democracia permita que a maioria possa fazer escolhas sobre uma água pública para todos", disse.

No início de Agosto, em conferência de imprensa na Assembleia da República, o Bloco de Esquerda desafiou o Governo a sujeitar a privatização das Águas de Portugal, mesmo que em 49 por cento, a um referendo, argumentando que trata-se de um "domínio público", um "bem vital" e "limitado" em relação ao qual os portugueses têm "uma palavra a dizer".

"Desafiamos claramente o Governo a que pergunte aos portugueses se estão de acordo com a privatização das Águas de Portugal mesmo que a 49 por cento", afirmou, na altura, o deputado Luís Fazenda.

A pergunta do referendo seria "Concorda ou não com a privatização das Águas de Portugal?", avançou o deputado bloquista.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG