BE quer cópia do relatório sobre morte de menina de 14 anos em Castro Daire

Criança de 14 anos foi atendida no Centro de Saúde de Castro Daire. Foi-lhe diagnosticada uma constipação, mas acabou por morrer horas depois

O Bloco de Esquerda (BE) pediu ao Governo o relatório efetuado pela Inspeção Geral das Atividades em Saúde (IGAS) na sequência da morte de uma criança de 14 anos, em Castro Daire, anunciou hoje o partido.

Numa nota de imprensa hoje enviada às redações, o BE recorda que, no dia 26 de janeiro, uma menina com 14 anos foi atendida no Centro de Saúde de Castro Daire, tendo-lhe sido indicado que estava com uma constipação.

"Uma vez que o seu estado de saúde se agravou, os pais levaram-na de novo à unidade de saúde no dia 28 de janeiro, um domingo", mas mais uma vez a criança "foi enviada para casa com a indicação de que estava constipada. Algumas horas depois", a menina "faleceu em casa", explica o partido.

O BE diz lamentar "profundamente" o falecimento e diz que o diretor do agrupamento de Centros de Saúde Dão-Lafões indicou que a IGAS abriu um inquérito.

Nesse sentido, o BE solicita ao Governo, através do Ministério da Saúde, a cópia do relatório efetuado.

Exclusivos

Premium

Nuno Severiano Teixeira

"O soldado Milhões é um símbolo da capacidade heroica" portuguesa

Entrevista a Nuno Severiano Teixeira, professor catedrático na Universidade Nova de Lisboa e antigo ministro da Defesa. O autor de The Portuguese at War, um livro agora editado exclusivamente em Inglaterra a pedido da Sussex Academic Press, fala da história militar do país e da evolução tremenda das nossas Forças Armadas desde a chegada da democracia.

Premium

Ferreira Fernandes

A angústia de um espanhol no momento do referendo

Fernando Rosales, vou começar a inventá-lo, nasceu em Saucelle, numa margem do rio Douro. Se fosse na outra, seria português. Assim, é espanhol. Prossigo a invenção, verdadeira: era garoto, os seus pais levaram-no de férias a Barcelona. Foram ver um parque. Logo ficou com um daqueles nomes que se transformam no trenó Rosebud das nossas vidas: Parque Güell. Na verdade, saberia só mais tarde, era Barcelona, toda ela.