Banco recolhe mais de 667 toneladas no primeiro dia

Portugueses deram mais cem toneladas  de alimentos do que no ano passado. Ilha Terceira juntou-se à campanha

Até às 18.00 de ontem, os voluntários do Banco Alimentar contra a Fome recolheram 667 toneladas de alimentos, mais cem do que no mesmo período do ano passado. Os números provisórios foram avançados ao DN pela presidente Isabel Jonet, que lembra que muitos supermercados e hipermercados ficam abertos até perto da meia-noite e que a campanha continua durante o dia de hoje.

A responsável não duvida da solidariedade dos portugueses, que têm doado sempre mais alimentos, apesar da crise. E por causa da crise aumentou o número de pessoas necessitadas. A instituição fornece alimentos a outras 1800, que, por sua vez, os distribuem a perto de 300 mil pessoas necessitadas.

No ano passado, na campanha de Novembro, os portugueses doaram 2490 toneladas de alimentos. Segundo o Banco Alimentar contra a Fome, azeite, óleos, atum, conservas, leite, açúcar, farinha, bolachas, massas são os produtos que fazem mais falta, porque não chegam à instituição de outra forma.

Este ano há uma nova região com recolha: a ilha Terceira, nos Açores. Cerca de uma centena de voluntários vai colaborar na acção que marca oficialmente o início da actividade do Banco Alimentar da Terceira, revelou o responsável na região, Vasco Capaz.

De Braga veio outro apoio de peso. O arcebispo de Braga, D. Jorge Ortiga, disse esperar que "o povo português seja capaz de partilhar e de renunciar a algo que seja supérfluo para poder dar a quem está com mais necessidade". O Banco Alimentar da cidade, um dos 18 que existem em Portugal, anunciava no Facebook que até à hora de almoço tinham sido recolhidas 15 toneladas. No de Santarém, ao final da tarde, tinham sido doadas 23.

A página do Banco Alimentar no Facebook serviu ainda para muitas pessoas manifestarem a sua vontade de aderir à campanha que a instituição planeia lançar nesta rede social. Isabel Jonet esclarece que falta apenas a confirmação da empresa Facebook para avançar.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG