Banco Alimentar recolheu 1300 toneladas de alimentos

Os voluntários do Banco Alimentar contra a Fome já recolheram 1300 toneladas de alimentos até às 23.00 de hoje. Isabel Jonet diz que o número é sensivelmente o mesmo ao da campanha de 2011, esperando alcançar o mesmo valor no final: 2 950 toneladas.

A presidente do Banco Alimentar (BA), Isabel Jonet, afirmou ao DN que apesar do corte no subsídio de Natal que os portugueses estão a sofrer, "têm sido de grande generosidade" para com o Banco Alimentar, adiantando ainda que, "houve também uma grande adesão de voluntários que quiseram vir trabalhar hoje, por solidariedade com a campanha".

Isabel Jonet diz estar satisfeita com a adesão da população portuguesa naquela que é a 42ª campanha da organização. Ao DN diz não sentir efeitos de algum boicote ou reação negativa aos voluntários, que pensa ser em maior número que o previsto: 38 500.

Em causa, uma entrevista que deu à televisão em que dizia que os portugueses deviam reaprender a viver mais pobres e que não se podia comer bifes todos os dias. Choveram críticas a estas declarações, incluindo o pedido de demissão da responsável do BA e ameaças de boicote.

"As pessoas conhecem o Banco Alimentar, sabem o que fazemos e sobretudo para quem fazemos", justifica Isabel Jonet.

As palavras da dirigente vai de encontro a alguns comentários que o DN ouviu hoje, quando entrevistou as pessoas que andavam às compras em locais de recolha. Ouviu muitas críticas à entrevista de Isabel Jonet, mas acrescentam que sabem separar as coisas.

Um ou outro diz não o fazer, por necessidade ou por protesto. "Não colaborei, nem vou colaborar. E deve saber porquê!", disse uma cliente que prefere não se identificar.

Mas só no final da campanha, amanhã à noite, é que se poderão fazer as comparações. E as pessoas podem, ainda, participar até 9 de dezembro via Internet (www.alimenteestaideai.net) ou comprando os vales existentes nos supermercados.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG